Página 5 de 5

Re: Alfa Romeo Giulia (HABEMUS PAPAM!!!!)

MensagemEnviado:2 mar, 11:18
por as_shariff
Vai haver um 2.2 de 135cv! ;)

Re: Alfa Romeo Giulia (HABEMUS PAPAM!!!!)

MensagemEnviado:2 mar, 13:28
por Arad
Diesel... E com 2.2l para PT é um caos.

A Mercedes tem um 1.6d (renault...)que faz um volume de vendas brutal nas frotas. O trio e o Passat vivem muito à base disso, é bom não esquecer...

A Audi tem um 1.4 otto no A4. O 1.4T do grupo Fiat é montado num carro RWD... Podiam muito bem fazer um Giulia 1.4 de 150cv na base da oferta. Já para não falar do 1750...

Re: Alfa Romeo Giulia (HABEMUS PAPAM!!!!)

MensagemEnviado:3 mar, 22:51
por as_shariff
"Mercadinhos" como o nosso serão bastante prejudiciais para as vendas e para vermos este novo Giulia na estrada. O posicionamento é muito "elevado".... se olharmos para as versões a gasolina então não se fala :shock: ! Precisaria de um leque de motorizações como teve o 156... que foi bastante completa e competente!

Re: Alfa Romeo Giulia (HABEMUS PAPAM!!!!)

MensagemEnviado:3 mar, 23:20
por Arad
as_shariff Escreveu:"Mercadinhos" como o nosso serão bastante prejudiciais para as vendas e para vermos este novo Giulia na estrada. O posicionamento é muito "elevado".... se olharmos para as versões a gasolina então não se fala :shock: ! Precisaria de um leque de motorizações como teve o 156... que foi bastante completa e competente!


Totalmente de acordo. Mas entendo muito bem a ideia deles. Ou a Alfa se assume agora inequivocamente como premium, com algum sucesso, ou acaba.

O 156 e o 159 foram belíssimos carros, cada um à sua maneira, mas faltou-lhes um nadinha para a "subida de divisão". O 156 tinha atrás de si um passado negro, foi extraordinário a reciclar a imagem da marca. O 159 germanizou-se, até nos motores, mas era um excelente carro. Faltou-lhe de início a gama final de motorizações.

No Giulia, com uma plataforma daquelas que promete dar ao carro uma condução de topo, não há margem para brincadeiras com motorizações sem carácter, como as iniciais do 159. Mas se o alvo é o 3er, é necessário ter qualquer coisa na base da oferta que seja competitiva, porque a BMW leva décadas de avanço a construir imagem, mesmo com escandaleiras de N47 pelo meio. Os 316 vendem-se...

Para já conhecem-se 3 blocos: 2.0T: 200/280cv; 2.2JTD: 135/150/180/210cv; 2.9 Quadrifoglio: 510cv.

Se podem montar um Diesel com 135cv, ainda que seja o 2.2 detuned (estilo Mazda 6) em vez de uma solução de baixa cilindrada, podiam montar um Otto de acesso na casa dos 150cv, como a Audi e outros têm. Se o 1.4 multiair dá no 124 spider e no respetivo Abarth, é porque é compatível com plataformas RWD. Quem faz uma transmissão de propósito para um 124, não faz para o Giulia? Já para não falar no 1750, mas esse já cola mais nos níveis de potência do 2.0.

Não me chocaria nada um Giulia 1.4 multiair a começar nos 30000€, por exemplo. Acima dos generalistas, abaixo do A4.

Até percebo que não queiram meter o 1.6 multijet... Só a Mercedes e a Volvo enveredaram por esses caminhos nos D premium, e a Volvo já saltou fora. A norma é 2.0/2.2d em vários níveis de potência.

Pelo que leio, a meta é de 100000 carros/ano, ao nível do pretendido pela Jaguar para o XE. É cerca de 1/3 do que vende cada um dos carros do trio alemão. Se pensam fazer isto sem ter alternativa às suas versões de entrada, ou esmagam margens de lucro, ou oferecem melhor produto, inequivocamente, pelo mesmo valor.

Ninguém ensaiou o carro, muito menos em versões civis, mas se o paralelismo Ghibli/5er puder ser estabelecido na mesma lógica para o Giulia/3er, não estamos perante uma plataforma superior à da BMW. O XE está também muito forte, mas não iguala o 3er em qualidade e nos diesel apresenta-se áspero e ruidoso, pelo que tenho lido.

Esperemos que a qualidade não falhe no Giulia, senão então é que não há hipótese...