Fórum geral
#79235
http://www.pistonudos.com/noticias/el-n ... bridacion/

Cada vez mais acredito que o "dieselgate" surge aos ouvidos do público em geral tão tarde como uma jogada.

Extremamente arriscado, é certo, mas no grupo VW alguém sabia que isto ia estoirar e tratou de gerir tudo em timings perfeitos.

O diesel vai morrer, a VW vai ser o coveiro. Mas vai sê-lo tendo um Golf VIII com híbridos e elétricos para todos os gostos.

A concorrência que nada tem a ver com a fraude apanhará com os estilhaços do "dieselgate". A VW paga as multas, repara (?) os carros, mas já tinha na manga a forma de fazer face a uma mudança drástica no mercado.

Agora é esperar e comer pipocas...

Venham lá os 1.0TSI com turbo elétrico e motor de arranque/gerador a 48V, com preços decentes e consumos abaixo de 5l/100 na vida real.

Eles sabiam que isto ia estoirar, e prepararam-se.
#79239
Ricardo Ribeiro Escreveu:Não é por nada mas isso que especulas só me deixa ainda mais revoltado com a VW... :evil:


Também a mim. Foram cretinos. Puseram a desgraça alheia como prioridade para tentarem sair por cima.
#79242
Estou para ver o que vai acontecer... mas acho que ainda ninguém demonstrou verdadeiro interesse em mudar o panorama automóvel.

Nos elétricos para além do preço e a autonomia reduzida as baterias duram muito pouco (cento e tal mil kms e já estão nas coves).

Nos híbridos as baterias creio que têm durado mais (começam agora a dar problemas) mas face a um diesel têm uma condução pior e a nível de custo são equivalentes ou piores.

Não percebo porque não se lança um híbrido/elétrico com extensor de autonomia a GPL, por exemplo.
A tecnologia já existe... é só ser inteligente e saber conjugá-la.

Em Portugal a única "tecnologia" capaz de fazer face ao diesel é o GPL... pelo menos enquanto for barato. Porque não há também, em portugal, veículos a gás natural, por exemplo? Poderia ser mais uma alternativa.

Mas, dando apenas a minha opinião, o diesel não vai morrer. Porquê? Porque segundo já estudei há uns tempos (espero não fazer confusão) quando se refina o petróleo temos uma variedade de produtos como o diesel, a gasolina ou o GPL. Com a eventual escassez de petróleo que existe não estou a ver o pessoal a desaproveitar o diesel que, à partida, será sempre um produto disponível após a refinação.

Que a utilização de petróleo passe da Europa para a China, ou para a Índia ou que se utilize para aquecer as casas em vez de fazer mover os automóveis mas o diesel, a meu ver, nunca vai deixar de ser produzido e, consequentemente, utilizado seja de que forma for ou onde for enquanto... houver petróleo.
#79246
Voltando aos híbridos light, a ideia parece bem porreira para a transição para os eléctricos e para quem não pode ter plug in.

Afinal nem toda a gente tem garagem...

Ter um motor de arranque com potência para mover o carro e dar uma ajuda ao otto faz todo o sentido. O componente está lá há tanto tempo...

O turbo elétrico é outra ideia excelente. A ver se isto vem fiável e com boa utilização. Pelo menos não parece demasiado complexo.
#79248
Híbridos sem ser plug-in já existem...

E quero ver se os 4,7 l/100 de consumo "real" é mesmo real. Acho que ainda é um bocado cedo para deitar foguetes mas, a meu ver, vão num bom caminho.
#79250
O diesel só de há 25 anos para cá se tornou "indispensável" para os clientes particulares e com maior incidência na Europa. Em parte, fizeram-nos crer, que o diesel era a melhor e mais económica alternativa e a malta teve que papar isso. A juntar a isso o preço dos combustíveis subiu consideravelmente e em países como Portugal a diferença de um combustível para o outro tornou-se ainda maior.

O diesel estará condenado... porque as normas de poluição assim o vão obrigar.
#79252
Certo, mas a abordagem aqui é outra totalmente diferente. Não tem nada a ver com um Prius ou Auris HSD, nem com os Hondas.

Também quero ver os 4.7 reais...