Fórum geral
#79287
SeteGu Escreveu:Essa deve ser a exceção à regra. Pelo menos em Portugal basta ver os DB's dos Leaf e ver a degradação das baterias com 100.000 e tal kms.

Este perdeu mais de 30% da capacidade da bateria em 120.000 kms:
http://www.nissanleafpt.com/viewtopic.php?f=56&t=2047&start=470

Antes demais, o que é a bateria estar nas couves ?

Como podes ver nesse DB, mesmo com perda de 30% da capacidade original, continua a servir o proprietário, pelo que certamente ele discordará da tua definição de "bateria nas couves"... :roll:


P.S.:
Em PT apenas houve um caso de troca da bateria em garantia.

Os restantes Nissan Leaf mk I, que usam a bateria da primeira geração, têm degradações abaixo dos 30%, mesmo os que rondam os 100.000km.
Sobre os Nissan Leaf mk II, com uma bateria ligeiramente diferente, ainda não há dados suficientes para conclusões, mas tudo indica que a degradação é menor relativamente aos mk I com a mesma quilometragem.
#79288
Arad Escreveu:Talvez o melhor negócio nesses casos seja a compra do carro com baterias "alugadas".

PÉSSIMO NEGÓCIO!

Sabias que no sistema de aluguer da Renault és obrigado a fazer um seguro que cobre danos na bateria ?
Sabias que no sistema de aluguer da Renault está no contracto o número máximo de carregamentos rápidos que podes fazer e que se os excederes pagas cada um a peso de ouro ?
Sabias que no sistema de aluguer da Renault, os 79€/mês são por um contracto de 36 meses (3 anos) e válido para 7.500Km/ano ?

Além disso, quando chegar à altura de mudarem a bateria, porque baixou do valor definido no contracto, os testes deles vão te dizer o contrário... há pelo menos um caso em que o proprietário teve que fazer barulho para lhe trocarem a bateria: http://www.nissanleafpt.com/viewtopic.php?f=45&t=3817&start=110#p53838
Última edição por ZeuZ em 3 nov, 14:06, editado 1 vez no total.
#79290
ZeuZ Escreveu:
Arad Escreveu:Talvez o melhor negócio nesses casos seja a compra do carro com baterias "alugadas".


Sabias que no sistema de aluguer da Renault, os 79€/mês são por um contracto de 36 meses (3 anos) e válido para 7.500€/ano ?



Não percebi!
#79291
as_shariff Escreveu:
ZeuZ Escreveu:
Arad Escreveu:Talvez o melhor negócio nesses casos seja a compra do carro com baterias "alugadas".


Sabias que no sistema de aluguer da Renault, os 79€/mês são por um contracto de 36 meses (3 anos) e válido para 7.500€/ano ?



Não percebi!

Há um erro no meu post... :oops: ...já corrigi! Obrigado! ;)
#79292
Admito que o termo "nas coves" possa ser exagerado.

Mas se um utilizador que enquanto novo podia fazer 120 kms e aos 120.000 não consegue fazer 85... parece-me uma redução bastante grande tendo em conta a baixa autonomia (mesmo em novo) do Leaf.

Ao comprar um Leaf em vez de contar com 120 kms terei de contar com quantos? 80? 60?
Porque se for a contar com 120, se calhar, aos 50.000 kms fico a pé... ou tenho de trocar de baterias de 3 em 3 anos (por exemplo)?
Até porque quanto mais "espremida" for a bateria menos ciclos irá fazer...

No tópico do link em baixo há uma discussão em que se contesta o tipo de baterias usadas no Leaf (supostamente há outra tecnologia diferente em que as baterias duram mais e são utilizadas basicamente em todos os restantes veículos elétricos) e onde, por isso, se crítica a sua elevada degradação.

Mais... o Leaf mkII continua a usar baterias do mesmo tipo mas com mais alguma capacidade... ou seja, é espectável que se degradem nos mesmos ciclos ainda que cada ciclo dê para fazer mais alguns kms.

E quem comprou o mkI não poderá substituir a sua bateria pela bateria (de maior capacidade) do mkII.

Info daqui: http://www.nissanleafpt.com/viewtopic.php?f=9&t=4403&sid=f325476be512fe7a65d2a52f546758ec&start=100
#79313
SeteGu Escreveu:Mas se um utilizador que enquanto novo podia fazer 120 kms e aos 120.000 não consegue fazer 85... parece-me uma redução bastante grande tendo em conta a baixa autonomia (mesmo em novo) do Leaf.

Sim, foi uma perda grande de capacidade... mas a bateria do Leaf mk I é conhecida por não ser tão resistente à degradação quanto a de outros VE... principalmente em países com temperaturas médias altas!

SeteGu Escreveu:Ao comprar um Leaf em vez de contar com 120 kms terei de contar com quantos? 80? 60?
Porque se for a contar com 120, se calhar, aos 50.000 kms fico a pé... ou tenho de trocar de baterias de 3 em 3 anos (por exemplo)?
Até porque quanto mais "espremida" for a bateria menos ciclos irá fazer...

Tal como noutros veículos, depende do uso que lhe deres!

Em Espanha há um caso de um taxista com +160.000km e no entanto ainda mantém 11 barras... outros, com ~50.000km já estão prestes a perder essa 11ª barra...

Nos EUA há um caso de uma pessoa que apesar de ter que parar num PCR a meio do trajecto para carregar, ainda usa o Leaf para fazer essas viagens. É um dos primeiros modelos (2011).

Portanto, a altura para ou a necessidade de trocar de bateria vai depender das necessidades de cada um...

Pegando no exemplo do Leaf com mais de 120.000km... supondo que os 85km já não lhe servem, terá agora que gastar 5.000€ + IVA para trocar a bateria... comparando com um carro com motor diesel, que fizesse uma média de 5l/100km nas mesmas condições de utilização, nesses 120.000km teria gasto:
( ( 120.000km * 5L ) / 100km ) * 1,00€/L = 6.000€ ...portanto, sensivelmente o valor da troca da bateria...

Tenho consciência que estas contas não são precisas!

Mas:
* O gasóleo não está a 1€/L;
* Carros do segmento C a fazerem realmente 5l/100km... :roll: ;
* Não considerei o IUC (0€, no caso dos VE);
* Não considerei o custo das revisões (menores no caso dos VE);

SeteGu Escreveu:No tópico do link em baixo há uma discussão em que se contesta o tipo de baterias usadas no Leaf (supostamente há outra tecnologia diferente em que as baterias duram mais e são utilizadas basicamente em todos os restantes veículos elétricos) e onde, por isso, se crítica a sua elevada degradação.

Estás a fazer alguma mistura dessa informação... ;)

A bateria dos Leaf mk I fazem uso de uma química que é mais sensível às temperaturas altas. Isto combinado com a falta de refrigeração activa e a má disposição das células, tem levado a uma maior taxa de degradação relativamente a outras químicas.

Na altura em que o Leaf foi lançado, apenas havia o iMiEV como termo de comparação na questão da bateria e também o iMiEV entretanto trocou a química da bateria.

Vê o diário de bordo do Malm, um primeiros proprietários de um iMiEV em PT.

SeteGu Escreveu:Mais... o Leaf mkII continua a usar baterias do mesmo tipo mas com mais alguma capacidade... ou seja, é espectável que se degradem nos mesmos ciclos ainda que cada ciclo dê para fazer mais alguns kms.

Falasse que houve alterações na química da bateria dos Leaf mk II e na sua construção, que a tornam mais resistente ao calor.
Além desta alteração, diminuíram a margem de segurança do pack, aumentando assim a quantidade de energia disponível. É uma opção semelhante ao que a MB faz com o Classe B eléctrico.

SeteGu Escreveu:E quem comprou o mkI não poderá substituir a sua bateria pela bateria (de maior capacidade) do mkII.

Pode! Aliás, quem lá for trocar bateria, leva com uma bateria de 2ª geração.

O que estão a dizer que não dá para fazer é trocar a bateria de um Leaf mk I/mk II pela do recém anunciado mk III, com 30kWh ...