Desde a F1 aos Rallys, passando pela competição Nacional, aqui discute-se as emoções do desporto automóvel
#58842
Tambem estive a ver a ultima meia hora.

De facto o andamento do Audi é qualquer coisa. Estava com o mesmo ritmo com que começou a prova à 24 horas e 5000km atras.

Incrivel
Avatar do Utilizador
By g__s
#58856
grande vitória do audi. 24 horas c 3 peugeots a morder os calcanhares é um feito. à peug. faltou mais agressividade, fizeram 1 jogo de pressão à espera que o erro do audi acontecesse, sem arriscarem. e o audi foi mais vezes à box... :lol:
será que é desta que o lamy demite-se da peugeot depois de só ter corrido 34 voltas?
gostei das luzes futuristas deste audi.
Dois acidentes graves na audi e zero ferimentos, que é muito bom.
foi das mais renhidas dos ultimos 40 anos.
o novo ferrari foi uma desilusão.
o ponto mais alto talvez terá sido de noite quando o pug quase ultrapassava o audi e andou bem perto dele mas o audi era mais rápido. a partir daí só na última ida às boxes é que a emoção voltou...

Imagem
Avatar do Utilizador
By Viper
#58930
Boas!!!

Não sei se já assistiram aos acidentes da Audi nesta edição das 24 Horas de Le Mans, mas aqui ficam:

Allan McNish:



Mike Rockenfeller:




Agora pergunto: Como é que ambos sobreviveram a estes acidentes sem um arranhão? Os dois carros desmancharam-se por completo, embora no caso do McNish, vê-se perfeitamente que a célula de sobrevivência está intacta... No caso do Rockenfeller não se consegue ver grande coisa, apenas uma série de peças a voar depois de o carro bater... Não haja dúvida que a segurança melhorou e muito nos últimos anos e aqui está a prova assim como nos casos dos "Mercedes Voadores"...
Avatar do Utilizador
By João Gomes
#58934
Começando pelo fim... os acidentes... os carros hoje em dia são construidos à volta da celula de sobrevivencia do piloto... e tem de passar muitos testes para serem aprovados... acresce a isso o facto de serem carros fechados o que aumenta a resistência... o acidente do McNish só vi na repetição... e apesar de aparatoso e forte foi um acidente «não muito» grave (se se pode dizer isso duma batida a uns 230km/h)... desacelarou na gravilha... levantou voo... e rodopiou... a partir do momento que rodopiou muita da energia do embate vai pra esse movimento... o do Rockenfeller vi ao vivo... e foi muito mais brutal que o primeiro... pela velocidade (perto dos 300km/h), pois o carro não desacelerou praticamente nada antes de bater... e ter batido «directo» nos rails... não dá pra perceber bem, mas dá ideia que bateu no rail do lado esquerdo e foi directo para o rail do lado direito (talvez com uma rotação pelo meio)... nas imagens não se percebia o que pudesse ser o carro! Já agora não concordei com os comentadores, acho que não houve toque entre o Audi e o Ferrari..
Quanto à corrida... os Pugs foram «prejudicados» por ter havido 3h30 de safety car, pois conseguiam fazer entre mais uma a duas voltas por deposito que os Audi, e 3h30 de safety car dá qualquer coisa como 4 paragens... o Pug podia ter ganho ali 6 voltas, teria feito diferença? Não se saberá... e safty car numa prova de 24h é sempre um factor a considerar!!! Mas ainda não consegui perceber bem as paragens do Pug nº9, pois pararam à volta 298 (ou uma coisa do genero) e deu a ideia que pararam de novo 4 ou 5 voltas depois... foi na ultima passagem do eurosport2 para o eurosport... e não sei se foi mesmo paragem ou se tavam a repetir a paragem na tv e os comentadores não repararam!!! Se foi mesmo paragem, perderam a prova aí... de resto corrida impecavel, e como dois carros com filosofias diferentes chegam quase ao mesmo resultado final!! Se a F1 aprendesse a lição :roll: :roll:
Enfim, cada vez gosto mais das provas de resistências (só comecei a ligar praí em 2000, no ano que a Toyota perdeu!!) :ugeek: :ugeek:

Edit: Não foi 2000, foi 1999 segundo o video do Romão!! Ahhh já agora tava pela Toyota nessa corrida...
Avatar do Utilizador
By João Gomes
#58937
Não vi em corrida os Aston Martin... que correram com motores gasolina 2.0 turbo seis em linha... que não se portaram muito bem, pois foi por isso que desistiram parece... e segundo um convidado do eurosport (eng. de motores) nos actuais regulamentos não vê vantagem em utilizar um motor desses em relação a um gasolina atmosférico...
Avatar do Utilizador
By ZeuZ
#58939
João Gomes Escreveu:Quanto à corrida... os Pugs foram «prejudicados» por ter havido 3h30 de safety car, pois conseguiam fazer entre mais uma a duas voltas por deposito que os Audi, e 3h30 de safety car dá qualquer coisa como 4 paragens... o Pug podia ter ganho ali 6 voltas, teria feito diferença? Não se saberá... e safty car numa prova de 24h é sempre um factor a considerar!!!

Portanto foi uma estratégia manhosa da Audi para ganhar a corrida! :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen: :mrgreen:
Avatar do Utilizador
By g__s
#58946
João Gomes Escreveu:Começando pelo fim... os acidentes... os carros hoje em dia são construidos à volta da celula de sobrevivencia do piloto... e tem de passar muitos testes para serem aprovados... acresce a isso o facto de serem carros fechados o que aumenta a resistência... o acidente do McNish só vi na repetição... e apesar de aparatoso e forte foi um acidente «não muito» grave (se se pode dizer isso duma batida a uns 230km/h)... desacelarou na gravilha... levantou voo... e rodopiou... a partir do momento que rodopiou muita da energia do embate vai pra esse movimento... o do Rockenfeller vi ao vivo... e foi muito mais brutal que o primeiro... pela velocidade (perto dos 300km/h), pois o carro não desacelerou praticamente nada antes de bater... e ter batido «directo» nos rails... não dá pra perceber bem, mas dá ideia que bateu no rail do lado esquerdo e foi directo para o rail do lado direito (talvez com uma rotação pelo meio)... nas imagens não se percebia o que pudesse ser o carro! Já agora não concordei com os comentadores, acho que não houve toque entre o Audi e o Ferrari..
Quanto à corrida... os Pugs foram «prejudicados» por ter havido 3h30 de safety car, pois conseguiam fazer entre mais uma a duas voltas por deposito que os Audi, e 3h30 de safety car dá qualquer coisa como 4 paragens... o Pug podia ter ganho ali 6 voltas, teria feito diferença? Não se saberá... e safty car numa prova de 24h é sempre um factor a considerar!!! Mas ainda não consegui perceber bem as paragens do Pug nº9, pois pararam à volta 298 (ou uma coisa do genero) e deu a ideia que pararam de novo 4 ou 5 voltas depois... foi na ultima passagem do eurosport2 para o eurosport... e não sei se foi mesmo paragem ou se tavam a repetir a paragem na tv e os comentadores não repararam!!! Se foi mesmo paragem, perderam a prova aí... de resto corrida impecavel, e como dois carros com filosofias diferentes chegam quase ao mesmo resultado final!! Se a F1 aprendesse a lição :roll: :roll:
Enfim, cada vez gosto mais das provas de resistências (só comecei a ligar praí em 2000, no ano que a Toyota perdeu!!) :ugeek: :ugeek:

Edit: Não foi 2000, foi 1999 segundo o video do Romão!! Ahhh já agora tava pela Toyota nessa corrida...


Tenho de dar os parabéns aos locutores portugueses da Eurosport onde participou um eng.º e o Bruno Magalhães. Se não fossem eles era difícil aguentar aquilo de fio a pavio.
Não sabia que em 1960 ou 61 os 2 primeiros cruzaram a linha da meta com tempo quase iguais.
Quanto aos acidentes é incrível a resitência das células de sobrevivência. A barbatana vertical, apesar de inestética, tem a função de dar estabilidade ao carro (evita que voe). Daí que no 1º acidente o carro não capotou, apenas depois do embate. É impressionante a rígidez daquilo, não sei se é em fibra de carbono...
Epá a Peugeot perdeu porque não arriscou...houve ali um momento durante a noite que quase um Pug ultrapassava o Audi, mas o carro alemão era superior e mais ágil naz zonas mais sinuosas.
Eu se fosse ao Lamy saía já da Peugeot e ía bater à porta da Audi...

As provas de resistência, para mim, é onde se pode ver a fiabilidade de uma marca. É onde os pilotos têm de gerir a máquina para levá-la até ao fim. Basicamente corridas de 20 ou 30 voltas, a meu ver, não me cativam, pois é mais a potência que interessa. Segundo afirmaram os locutores foi devido ao sucesso nesta prova que algumas marcas ganharam fama, o que levou pessoas a comprarem carros das marcas vencedoras. Daí as marcas apostarem milhões nestas provas.
É impressionante ver motores a rodarem 5000km seguidos. Gostei do som do Audi, já o Pug tinha um matraquear irritante a baixas rotações.
Para quem reparou quando o ritmo abrandava e entrava o safetycar os diesels deitavam algum fumo (não é proibido?)

A grande desilusão foi mesmo a Aston Martin.
Avatar do Utilizador
By João Gomes
#58952
Já em anos anteriores mais pro final da corrida se via que os diesel em algumas situações deitavam um fumozinho negro... se é proibido ou não... não faço ideia... so vendo nos regulamentos... mas o 908 não era (ou foi em anos anteriores) FAP?!?
O Lamy ter feito so um turno de condução realmente foi uma tristeza... e os Pug talvez depois do susto que tiveram no ano passado em que eram (bem) mais rápidos que os Audis mas partiram todos (em minha opinião pq além de vencerem quiseram «humilhar» a Audi e andaram sempre a fundo sem necessidade) este ano jogaram mais pelo seguro e deviam estar a apostar na situação das paragens... e já de manhã chegaram a andar na frente... daí a minha duvida se existiu mesmo ou nao uma paragem 4 ou 5 voltas a seguir a outra... pq depois disso mesmo o Audi indo às boxes nunca mais ficaram na frente... e fizeram as paragens quase ao mesmo tempo...
E sim foram contadas várias histórias interessantes durante a emissão... desde o terminar a corrida ao mesmo tempo dos Ford GT (vês romas, o Schumacher/Ferrari não inventaram nada de novo qdo fizeram o mesmo!!) em que o regulamento dizia que quem partisse mais de trás nessa situação era vencedor... à da Bugatti que percebeu que vencer em Le Mans vendia carros e entrou, mas que os pneus rebentavam aos 180/200Km/h e então não terminou...
Acho a resistência interessante pq apesar de ter um regulamento «duro», permite muitas opções... o Audi é V6 o Pug V8... pode ser fechado ou aberto... Diesel ou gasolina... e isso permite aos eng. das marcas abordagens diferentes... a Audi foi para a eficácia do carro... a Pug foi para o consumo e vel. max. tendo uma aerodinamica «menos» virada para o downforce... e via-se que nas zonas sinuosas o Audi tinha vantagem e tb se viu o Audi nas dobragens aos Pug nas rectas apanhar o cone... chegar à cauda... sair pra fora do cone e começar a perder!!!
É isso que hoje em dia não há na formula 1... na F1 hoje o caminho é quase único... dantes havia os V12... V10... V8... em que uns nas pistas rápidas (que hoje tb já não existem, uma vergonha o que fizeram em Imola e Hockheinm) levavam vantagem outros eram mais equilibrados e levavam vantagens noutras pistas...