O dia a dia do seu automóvel aqui relatado em primeira mão e com todos os detalhes
#76785
Não tenho andado de Jazz... mas já notei duas coisas: ruidos parasitas e um "borbulhar" do tubo de escape a baixa rotação.

Quanto à primeira é só em mau piso (bastante mau, por sinal) e não sei se não é da tralha que anda naquele porta luvas e por ali espalhada (tenho de averiguar isso).
Outro que reparei (nas mesmas condições) foi na calha do vidro de trás quando parcialmente aberto que tende a emitir algum um ruído ao chocalhar na própria calha.
Em bom piso ou razoável nada se ouve.
O antigo Jazz nisso era exímio... nada de ruídos (exceptuando nos últimos tempos vindo da suspensão atrás: casquilhos ou algo do género).

Quanto ao ruído do escape em ponto morto ou com pouca aceleração ainda hei-de filmar para vos mostrar :lol:
Acho curioso porque sendo o carro novo deve ser feitio (assim espero) e do que já li isso é relativamente normal acontecer em carros desportivos, etc... daí a minha admiração. Não é nada de mais nem se ouve no interior e se calhar até é vulgar mas o antigo não o fazia... achei curioso.

De resto continua a andar :lol: .
Já andou chegou 6.500 rpm e acho que agora até tem algum pulmão em baixas que antes não me parecia ter. Continuo a dizer que não como o antigo Jazz que tinha sempre uma resposta mais brusca ao acelerador em baixas mas compensa bem pelas rotações mais altas onde parece desenvolver melhor que o anterior. Não se trata de um carro de corrida mas chega bem para as encomendas e para uma ou outra ultrapassagem.

Hoje tentei meter pela primeira vez a bicicleta no carro e foi "peaners":
Anexos
Foto0517.jpg
Foto0517.jpg (156.05 KiB) Visto 4391 vezes
#76787
O carro só lá para os 15/20000km é que vai ficar bem soltinho :P !

Mas isso do escape é mesmo assim, ou passa-se algo de errado?
Muito boa a foto da bicla... é por isso que aprecio muito o Jazz, em poucos segundo fica com uma bagageira do tamanho duma carrinha! 8-)
#76823
Sim, julgo que sim... é algo suave e quem nem se dá muito por isso. É tipo um "tu-tu-tu-tu" suave ao relatim e a baixas rpm... Dentro do carro nem se dá rigorosamente por nada.

Acredito que até seja vulgar... no Jazz I é que nunca reparei em nada disso.
#77315
Comparando com o antigo:

-Piores materiais no interior (nomeadamente no forro das portas)
-Pior resposta do motor em baixas rpm (que não é má... aí a partir das 2.000 rpm começa a ganhar pulmão; mas é claramente menos brusca e mais progressiva que no anterior)
-Melhor insonorização a velocidades mais elevadas (dá-se pouco pela velocidade)
-Consumos na mesma linha
-Prestações ligeiramente melhores principalmente devido a uma caixa mais curta (a relação peso/potência é a mesma). A 5ª velocidade aguenta-se bem em AE a 120 km/h em praticamente todas as situações.
-Menos "seco" a nível de suspensão que o anterior.

De momento não sei quantos kms tem mas deve estar perto da 1º revisão.

Algo que notei de "diferente" (pelo menos nunca reparei em tal coisa em nenhum outro carro) é o facto de os vidros continuarem a subir e a descer mesmo depois do carro estar desligado. Ainda não percebi muito bem como funciona mas passado algum tempo deixa de se poder abrir os vidros.

De resto é meter gasolina e andar! 8-)
#77316
SeteGu Escreveu:-Pior resposta do motor em baixas rpm (que não é má... aí a partir das 2.000 rpm começa a ganhar pulmão; mas é claramente menos brusca e mais progressiva que no anterior)

É o Turbo! :mrgreen:

SeteGu Escreveu:Algo que notei de "diferente" (pelo menos nunca reparei em tal coisa em nenhum outro carro) é o facto de os vidros continuarem a subir e a descer mesmo depois do carro estar desligado. Ainda não percebi muito bem como funciona mas passado algum tempo deixa de se poder abrir os vidros.

Tipicamente o sistema eléctrico mantém-se activo uns segundos depois de desligares o motor. Nalguns carros até mesmo depois de tirares a chave da ignição.
Procura no manual, que deve estar lá a indicação de quantos segundos são. ;)
Última edição por ZeuZ em 10 set, 14:57, editado 1 vez no total.
#77318
Sim, creio que funciona mesmo sem a chave na ignição.

O turbo não é porque curiosamente partiu no outro dia... :mrgreen: :roll: :twisted:
Agora a sério acho que tem muito a ver com 2 coisas:
Jazz I) 8 val i-dsi [110Nm / 2.800rpm] / acelerador por cabo
Jazz II) 16 val i-vtec [114Nm / 4.900rpm] / acelerador eletrónico
#77342
Os multiválvulas são poe norma melhores em altas e piires em baixas. Não surpreende o que sentes no desempenho.
#77751
Já conta com quase 37.000 km.

O consumo médio com 90% ou mais de cidade anda nos 6,1 l/100.

Gosto bastante do comportamento do carro: curva bastante bem sem adornar à semelhança do que já acontecia com o anterior.

Não gosto é do tato dos pedais: é demasiado vago. Por exemplo, no antigo sentia-se bem a zona em que a embraiagem começava a pegar... neste não.
Talvez por também pegar pouco no carro mas o no antigo Jazz a "comunicação" entre os pedais e o condutor era melhor.
O acelerador, por já ser electrónico, também não me agrada tanto.

A única coisa que sinto (positiva) de diferente (não tenho a certeza se acontecia com o antigo mas creio que não) é manter as 1.000 rpm facilmente (até a subir um pouco) mesmo sem tocar no acelerador... pelo menos em 2ª e 3ª.
Creio que se deva essencialmente ao acelerador eletrónico.
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 7