Conversas que vão além do tema automóvel
Avatar do Utilizador
By SeteGu
#60351
zetec Escreveu:O que acho é que o material já conta com uma idadezinha... As corail dizem 1985 nas portas e estas máquinas são de 1993...

Mas pronto para comboios às tantas estão jovens ;)

Os comboios são feitos para durar e durar e durar...
As 5600 (a meu ver) estão em excelente condições. Raramente se ouve que um IC avariou, por exemplo...
Olha a suiça, por exemplo: a locomotiva elétrica mais usada é esta http://en.wikipedia.org/wiki/SBB-CFF-FFS_Re_420 (1964-1983, 234 un) seguido desta http://en.wikipedia.org/wiki/SBB-CFF-FFS_Re_460 (199-1997, 119 un) e desta http://en.wikipedia.org/wiki/SBB-CFF-FFS_Re_450 (1989-1997, 115 un) e a suiça é dos países mais ricos do mundo.

Repara que nós ao todo só temos 70 Locomotivas elétricas (e algumas estão encostadas por não terem "trabalho") e só as três locomotivas mais usadas lá (de uma lista enorme: http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_stock_used_by_Swiss_Federal_Railways) ultrapassam as 450 unidades.

E não penses que não investem na ferrovia. Têm uma das redes ferroviária mais densas do mundo e boa parte destas locomotivas fazem serviços (quer de mercadorias, quer de transportes de passageiros) no Luxemburgo, Alemanha, Austria, Itália, etc...

Por outro lado também têm esta espécie de Alfa Pendular http://en.wikipedia.org/wiki/ICN_(SBB-CFF-FFS) (e enquanto nós comprámos 10 eles compraram 44) e comboios TGV.

Esta locomotiva, por exemplo, http://en.wikipedia.org/wiki/SBB-CFF-FFS_Re_620 em termos de potência e esforço de tração bate qualquer locomotiva eletrica Siemens atual.

Desde de que o material vá sendo modernizado pode durar muitos e muitos anos.
Avatar do Utilizador
By SeteGu
#60372
zetec Escreveu:Acredito, uma vez vi no discovery a modernização de uma máquina e fiquei :shock:

Por acaso também já vi. Não sei se vimos a mesma coisa. Eu vi nos EUA, mas lá é um mundo diferente do nosso. :)

Até há data praticamente nem têm transporte de passageiros. Têm o Acela Express e mais alguns (muito rudimentares) que circulam nas linhas de mercadorias.
O Acela Express (a meu ver) é um desperdício porque é baseado num TGV (atinge uma velocidade máxima de 240 km/h) mas a sua velocidade média é de apenas 110 km/h (até o nosso IC com as Corail faz melhor :roll: ).

No entanto as linhas de mercadorias conseguem suportar enormes quantidade de peso (por eixo). Enquanto na Europa, normalmente, nem chegamos às 22.5 Ton/eixo (ainda que há o objetivo de que a Linha do Norte possa atinja esse valor) nos EUA / Canadá chega-se a ultrapassar as 31 T/eixo.

Agora lembraram-se (devido ao sucesso do Acela Express e ainda bem) e vão encher o país com linhas de alta velocidade: http://www.fra.dot.gov/downloads/Research/hsr_corridors_2009_LV.pdf

220 mph (354 km/h):
-Northeast Corridor (NEC, onde atualmente circula o Acela Express)
-Chicago Hub Network
-California

168 / 186 mph (270/299 km/h)
-Florida

150 mph (241 km/h)
-South Central

125 mph (201 km/h)
-Empire

110 mph* (177 km/h)
-Keystone
-Southeast
-Pacific_Northwest
-Gulf Coast
-Northern New England

* Nos EUA a "alta-velocidade" é a partir dos 110 mph. Na europa (e creio que quase em todo o mundo) considera-se a partir de 200 km/h ou 125 mph.
Anexos
5.JPG
5.JPG (51.37 KiB) Visto 9882 vezes
Avatar do Utilizador
By zetec
#60373
SeteGu Escreveu:Por acaso também já vi. Não sei se vimos a mesma coisa. Eu vi nos EUA, mas lá é um mundo diferente do nosso. :)


Dever ter sido o mesmo então, também era nos eua uma máquina para mercadorias!

Que bicho e que reconstrução... Quer dizer para mim aquilo é mais uma máquina nova que outra coisa! Mas pelo que explicaram na altura compensava largamente uma intervenção daquele tamanho, dado que o custo de aquisição de uma nova era ainda mais assustador.
Avatar do Utilizador
By zetec
#62097
« CP quer “livrar-se” do transporte
rodoviário na Linha da Lousã

Empresa apresentou proposta para deixar de se responsabilizar pelas alternativas em linhas com a da Lousã ou Figueira-Pampilhosa
São cerca de 2,4 milhões de euros por ano, os custos assumidos pela CP para assegurar o transporte em autocarros nos locais onde as linhas já não funcionam e que levaram a empresa a apresentar uma proposta à tutela e ao Instituto de Mobilidade e Transportes Terrestres (IMTT) no sentido de alterar esta situação.
Considerando que não se trata de simples interrupções temporárias para obras, mas de situações em que a questão se prolonga, a CP entende que devem ser as empresas de transporte rodoviário a assegurar as viagens. Em causa estão a Linha do Corgo, onde as despesas com o transporte rodoviário são de 7.346 euros/mês, a Linha do Tâmega de 11.096 euros/mês e na Guarda-Covilhã 10.798 euros/mês. Na ligação Figueira da Foz - Pampilhosa, a CP gasta 15.817 euros/mês e a fatia maior vai para o Ramal da Lousã, que liga Coimbra a Serpins e que custa 154 mil euros por mês.

http://www.diariocoimbra.pt/index.php?o ... Itemid=135 »

Mai nada :twisted:
Avatar do Utilizador
By SeteGu
#63451
Rede ferroviária de passageiros perde 40% das linhas em 2012
http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?section_id=13&id_news=537209

Andou-se a gastar dinheiro com a Linha do Vouga e agora vai ser "tudo" encerrado.

Linhas em que não haja movimento que justifique a continuação do serviço concordo. Não estamos em tempo de sustentar esse tipo de "luxos".

-Há linhas que vão efetivamente fazer falta à população? Acredito que sim e (nesse caso) acho muito mal.
-Linhas com um comboio diário que servem meia duzia de pessoas: acho bem tendo em conta a situação atual.
Avatar do Utilizador
By SeteGu
#63452
Planos do anterior Governo:
http://www.publico.pt/Local/estudo-entregue-a-troika-propoe-fecho-de-800-km-de-linha-ferrea_1500246?all=1

Planos do atual Governo:
http://economia.publico.pt/Noticia/linhas-ferroviarias-do-oeste-e-alentejo-perdem-servico-de-passageiros-1516601

Resumindo, o que vai acabar:

-*Linha do Tua* (na totalidade, 133,8 km)
http://pt.wikipedia.org/wiki/Linha_do_Tua

-Linha do Oeste (entre Caldas da Rainha e Figueira da Foz - 110,2 km)
http://pt.wikipedia.org/wiki/Linha_do_Oeste

-Linha do Vouga (na totalidade - 99,2 km)
http://pt.wikipedia.org/wiki/Linha_do_Vouga
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ramal_de_Aveiro
A Refer investiu 3,7 milhões de euros na linha, recentemente.

-*Linha do Corgo* (na totalidade - 96,2 km)
http://pt.wikipedia.org/wiki/Linha_do_Corgo

-Ramal de Cáceres (na totalidade - 81,5 km)
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ramal_de_C%C3%A1ceres

-Linha do Alentejo (entre Beja e Funcheira - 63,7 km)
http://pt.wikipedia.org/wiki/Linha_do_Alentejo

-*Linha do Tâmega* (na totalidade - 51,6 km)
http://pt.wikipedia.org/wiki/Linha_do_T%C3%A2mega

-*Ramal da Figueira da Foz* (na totalidade - 50,4 kms)
http://pt.wikipedia.org/wiki/Ramal_da_Figueira_da_Foz

-Fim do Sud-Express (Lisboa-Hendaya com ligação ao TGV para Paris)

* * Linhas “provisoriamente encerradas” pelo governo anterior com a promessa de reabertura após reabilitação.

Kms de linhas encerradas: 354,6 km
Kms de linhas não reabertas: 332 km
Total: 686,6 km

PS. A linha do Oeste e do Alentejo vão manter o transporte de mercadorias em todas as suas extensões.
Avatar do Utilizador
By SeteGu
#63453
Acho particularmente mal fechar a Linha do Oeste (entre Caldas da Rainha e a Figueira da Foz). Porquê?
Porque Leiria, Figueira da Foz, Marinha Grande, São Martinho do Porto (praia), etc... vão ficar sem comboio.

A linha do Oeste é uma linha importante geograficamente. Se houvesse uma reabilitação profunda, eletrificação, duplicação, etc... teria muitos, muitos passageiros (provavelmente tantos como a Linha do Norte).
Cá para mim, estão já a contar com o TGV (que está suspenso mas não cancelado) para, no futuro, servir aquela zona.
A linha de TGV (tal como está prevista) irá passar por Leiria e terá uma estação designada "Oeste" não sei bem onde :S.
Vejam aqui o traçado previsto

O Ramal da Figueira da Foz era muito importante porque conectava a Linha do Oeste com a Linha do Norte. Tal como a Linha do Oeste não devia ser encerrada, o Ramal da Figueira de Foz também não deveria ser (até porque estava para ser reabilitada; mas o probl€ma deve ser exatamente esse).

A Linha do Vouga, depois dos investimentos que foram feitos, não devia ser encerrada (pelo menos na sua totalidade). Foram 3,7 milhões de euros literalmente para o lixo.
A meu ver, o minimo seria manter o troço entre Aveiro e Águeda.

Há um projeto independente para tentar manter o comboio a circular na Linha do Tua. Espero que sejam bem sucedidos!
Muitas vezes é precisamente isto que faz falta. As pessoas queixam-se que lhes vão retirar o comboio mas não fazem nada para o evitar e se for preciso vão todos os dias para o trabalho de carro quando até podiam ir de comboio.
Aplaudo este tipo de iniciativas!
http://noticias.sapo.pt/infolocal/artigo/1175881.html
  • 1
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15