Conversas que vão além do tema automóvel
Avatar do Utilizador
By SeteGu
#63783
zetec Escreveu:Não me parece que FigFoz fique sem comboio, a ligação a Coimbra fica garantida e de Coimbra há comboios para todo o lado.

Mas de facto este aposta em acabar com o comboio é um mais contra-senso ao incentivo ao transporte público.

Em relação ao ramal da Lousã, Ministro da Economia garante regresso dos comboios:
http://www.diariocoimbra.pt/index.php?o ... Itemid=135

Certo. ;)
Sendo assim, de facto, faz todo o sentido que se desative o Ramal da Figueira da Foz.

http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Ramal_da_Figueira_da_Foz.png

O Metro do Mondego seria um projeto muito interessante (ainda que não sei se viável).
http://www.metromondego.pt/default.aspx
http://www.metromondego.pt/Projecto/MapadeRede/tabid/64/Default.aspx
Avatar do Utilizador
By SeteGu
#70587
2004 vs 2013 - linhas em funcionamento

O que há a menos:
- Todas as linhas estreitas (Linha do Tâmega, Linha do Corgo, Linha do Tua, Linha do Vouga)
- Ligação Covilhã - Guarda
- Boa parte da linha do Alentejo
- Ligação a Espanha por Cáceres (Ramal de Cáceres)
- Linha de Évora
- Ramal da Figueira da foz

O que há a mais:
- Alguns ramais na linha de Sines
- Ramal da Lousã (Coimbra B - Coimbra)

Do que me apercebi é isto...
Anexos
linhas 2004.JPG
http://www.ocomboio.net/PDF/refer/refer-directorio-2004.pdf
linhas 2004.JPG (78.05 KiB) Visto 8769 vezes
linhas 2013.JPG
http://www.refer.pt/LinkClick.aspx?fileticket=Ol0viav7Jk8%3d&tabid=131
linhas 2013.JPG (95.24 KiB) Visto 8769 vezes
Última edição por SeteGu em 22 jul, 15:27, editado 2 vezes no total.
Avatar do Utilizador
By SeteGu
#70588
2004 vs 2013 - Eletrificação

Eletrificações:

- Ramal de Braga (urbanos do porto)
- Linha de Guimarães (urbanos do porto)
- Linha da Beira Baixa
- Parte da linha do Alentejo
- Linha do Sul

Também penso que não me escapou nada...
Anexos
eletr. 2004.JPG
http://www.ocomboio.net/PDF/refer/refer-directorio-2004.pdf
eletr. 2004.JPG (53.91 KiB) Visto 8769 vezes
eletr. 2013.JPG
http://www.refer.pt/LinkClick.aspx?fileticket=Ol0viav7Jk8%3d&tabid=131
eletr. 2013.JPG (61.59 KiB) Visto 8769 vezes
Avatar do Utilizador
By SeteGu
#70589
Velocidades máximas (2013):

(mantém-se iguais em relação a 2012)
Anexos
vel 2013.JPG
vel 2013.JPG (66.66 KiB) Visto 8769 vezes
Avatar do Utilizador
By SeteGu
#72902
Bem deixo aqui a conclusão do relatório preliminar ao acidente em Alfarelos:

Economico Escreveu:O comboio Intercidades que embateu no comboio regional em Alfarelos, na segunda-feira, circulava a 130 km/h, a dois quilómetros do acidente.

O comboio Intercidades que embateu na cauda do comboio regional próximo da estação de Alfarelos, na noite da passada segunda-feira, circulava a 130 km/h, a dois quilómetros do acidente.

Esta é uma das conclusões do relatório preliminar elaborada pela comissão de inquérito e hoje publicamente divulgado. De acordo com este relatório, o comboio Intercidades 529 circulava a esta velocidade a cerca de dois quilómetros do local da colisão, depois de já ter passado por um sinal amarelo fixo.

No transporte ferroviário em Portugal, o sinal amarelo fixo impõe que não seja excedida a velocidade correspondente, tendo em conta os aspectos e o respectivo grupo de frenagem a que pertence o comboio.

E alerta o maquinista de que o próximo sinal que encontrar na via, será necessariamente um sinal vermelho, que não pode ultrapassar, pelo que terá de ajustar a velocidade a essas circunstâncias em função do tipo de comboio que está operar.

Além disso, antes de um sinal amarelo fixo, surge sempre um sinal amarelo intermitente, o qual determina que o maquinista do comboio se deve preparar para cumprir a indicação de precaução que vier dada pelo sinal seguinte.

Mas, segundo o relatório preliminar, nada disto aconteceu ou evitou o acidente. Só cerca de 400 metros depois é que o maquinista do Intercidades actuou o freio, "permanecendo o mesmo actuado até ao momento da colisão".

Passados mais cerca de 500 metros, o mesmo maquinista, já com o comboio com a velocidade reduzida a 90 km/h, "com a aplicação da frenagem máxima de serviço", actuou os areeiros, uma forma mais drástica de travagem.

Percorridos 1.259 metros após a passagem do sinal amarelo fixo, o comboio Intercidades circulava já a 66 km/h. Nessa altura, o sistema "Convel", que coordena a circulação do sistema ferroviário nacional ao nível do controlo de velocidade, afixou a indicação ‘00' em ambos os ‘displays' do painel de bordo", segundo o referido relatório preliminar. É o sinal para meter todos os travões a fundo no comboio.

A frenagem de emergência foi actuada pelo sistema Convel quando o Intercidades já tinha percorrido 1.690 metros depois de ter passado o sinal amarelo fixo, "circulando o comboio a 58,5 km/h".

A colisão com o comboio que se encontrava estacionado perto da estação de Alfarelos, nas imediações de Coimbra, ocorreu apenas 92 metros depois disto, quando o Intercidades circulava a 42 km/h, ocorrendo depois uma "abrupta redução de velocidade", para zero km/h.

O relatório do inquérito preliminar ao acidente conclui que o sistema de sinalização "foi o adequado" e que "as informações recolhidas pelos dois comboios do sistema Convel "correspondem à sequência de aspectos apresentada pelos sinais".

Mas os peritos da CP e da Refer concluíram também que "as distâncias de frenagem de ambos os comboios foram superiores ao esperado" e que "as actuações de frenagem de emergência despoletadas pelo sistema Convel ocorreram tardiamente".


"Apesar de não ter sido possível detectar as causas, a comissão de inquérito pode concluir que houve falta de aderência entre as rodas e o carril, que originaram deslizamentos de ambos os comboios e contribuíram para a não imobilização dos mesmos antes do sinal de entrada S1 da estação de Alfarelos", resume o relatório preliminar sobre esta acidente ferroviário.

http://economico.sapo.pt/noticias/intercidades-passou-a-130-kmh-por-sinal-amarelo-fixo_161194.html

Resumindo... a falta de aderência entre as rodas e os carris originou o acidente. Ainda não se sabe o que poderá ter causado essa falta de aderência.
Pequena nota e fotos do acidente
  • 1
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15